Sábado, 28 de Julho de 2012

Ser plural faz bem, o mar é plural.

publicado por Poesia e Vídeo (Aline LiRa) às 02:57
link do post | comentar | favorito

Poema O copo

Aline Lira

 

Produção

 

Aline Lira

Cintia Oliveira

Sara Barbosa

 

Edição

 

Aline Lira

publicado por Poesia e Vídeo (Aline LiRa) às 00:49
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 18 de Julho de 2012

1__ Minha memória é infalível.

1__ Ainda me recordo, que os dois primeiros encontros mais importantes, aconteceram em cima de pedras.

2__ Pedras?

1__ Sim, rock, pedras. E elas sabem silenciar como ninguém.

2__ Do que você está falando? Ou melhor, do que estamos falando? Ou vamos falar...Quanta loucura.

... _Tenho uma coisa para te contar...

Trecho do livro; Os amores de outrora (como soa bonito)

Aline Lira

publicado por Poesia e Vídeo (Aline LiRa) às 15:31
link do post | comentar | favorito

Na cadeia do entendimento e da compreensão o amor é individual, singular, particular, pois,

não precisa fazer jus a qualquer aceitação e recíproca do outro ser, a ser amado.

Quando transferido para categoria plural, o amor já passou pelo crivo do entendimento,

do afeto e da recíproca, e é nesse estágio em que as pessoas amam, amam no sentido máximo de liberdade,

para serem felizes e respeitar o outro.

publicado por Poesia e Vídeo (Aline LiRa) às 15:30
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 11 de Julho de 2012



Foi no Rio que vi;
Sou muito novo
pra tanta saudade.

Parto para São Paulo 
e deixo aqui mesmo a
vaidade.

Foi no Rio que vi;
que toda vez no mar;
é a primeira vez.

Dizem que é porque
não é quintal.

Foi no Rio que vi;
Os Arcos da Lapa
são bonitos nos clicks
e álbuns compartilhados
da "modernidade".

Porque de perto é feio;
e andar sozinho
me causa receio.

Foi no Rio que vi;
o pão de açucar nosso
de cada ida.

$$$$$$$

Foi no Rio que vi;
poeta bom;
é poeta morto.

Aline Lira, julho/12

sinto-me:
publicado por Poesia e Vídeo (Aline LiRa) às 22:31
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 9 de Maio de 2012

Tocar você

Pra te prender no 
meio das minhas pernas;
e não vulgarizar.
Para estar num estado puro;
e te fazer vibrar.
Entre
Vire
Beije
Goze
Escrevi um poema
pra te aproximar;
trazer pra perto.
Escrevi um poema
pra me libertar.
Pra relembrar
o gosto do teu gosto.
Pra remeter o prazer;
pra te provocar; 
I N S T I G A R.
Escrevi um poema;
pra me apropriar:
"dentro em breve: dentro de mim".
música: Dentro Chico César
publicado por Poesia e Vídeo (Aline LiRa) às 16:22
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 26 de Março de 2012

Ah! Quero você.

Porque eu sou assim;

mesmo de querer.

 

Ah! Quero você.

Porque tenho pra mim;

Que sou teu solo

de guitarra;

meio sem querer.

 

Ah! Quero você.

Porque pensando em meter;

Você vai me querer.

Ah.... Quero você pra mim;

Porque nessa de querer;

Vim pra dançar

só com você.

 

Lira, março 2012

 

sinto-me: Na gaveta_ Brunno monteiro
publicado por Poesia e Vídeo (Aline LiRa) às 13:38
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Segunda-feira, 30 de Janeiro de 2012

Ela não vem atoa;

Não vem do nada.

A palavra

é quase sempre egocêntrica;

Não quer ser frase.

A P A L A V R A

é expressão.

Na TPM, ela quer se palavrão;

FODA-se!

Mas quando a palavra quer

delicada;

Ela nem precisa ser dita, gritada.

É sussurrada;

Cabe no gesto.

 

Lira, 29-01-12

música: Nova Baby...
publicado por Poesia e Vídeo (Aline LiRa) às 00:57
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 25 de Janeiro de 2012

Não brinque com a ansiedade

que eu tenho de te ver.

Não brinque de vaidade;

quando o natural faz de você

mais real;

mais tocável.

Não brinque de amor

quando nem souber que se é paixão.

Brinque de cama;

se for só tesão.

Brinque de verdade;

para apagar a mentira.

Brinque de rimar

quando as palavras certas

não tiverem mais sentido.

E brinque de sentir;

quando eu disser que

estou contigo.

E a gente brincando;

se despede sorrindo.

 

Aline Lira, 25/01/12

sinto-me:
música: Diante de qualquer nariz, Suricato
publicado por Poesia e Vídeo (Aline LiRa) às 12:13
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

SÉTIMO OLHAR PAULISTANO

 

Terra que eu necessito

Um ar que não respiro

Lugar que me fez

Um prédio novo a cada mês

Belas paisagens

Pouco verde

O silêncio não mora mais

Rezamos por dias de paz

Quem vem não volta

Quem volta não fica

Limpeza se suplica

Riqueza capitalista

Para muitos um porto seguro

E para outros um poço sem fundo.

 

Aline Lira, 2005

publicado por Poesia e Vídeo (Aline LiRa) às 11:39
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


últ. comentários
ah quero você...
Muito bom ...! =)"Brinque de rimarquando as palavr...
Olá...quem é vc anônimo...Sou extremamente curiosa...
mto bom! =)
Resumindo: Parabéns. E obrigado por lembrar!
E quem melhor para requerer nossas intimidades do ...
Assumir o erro, errar de novo, apagar,reescrever. ...
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro